Berlim: A Noite Mais Insana Da Vida

Berlim é o paraíso de muitos viajantes que adoram a noite europeia, mas a cidade vai muito além dos famosos nightclubs. Em setembro de 2017 eu tive a oportunidade de conhecer a Alemanha e ficar alguns dias em Berlim com amigos que lá moram (definitely, melhor maneira de se conhecer uma cidade).

Portão de Brandemburgo, Berlim

Em um dos principais centros de arte e cultura da Europa, acredito que a primeira coisa a se fazer é mesmo deixar-se envolver pelo clima da cidade. Berlim tem algo mágico! Veja bem, você pode iniciar seu dia caminhando pelas ruas alemãs de inúmeros grafites e sutis lembranças da Guerra, esbarrar em algum museu e/ou galeria de arte e – ok, ok – se irritar um pouco com os infinitos canteiros de obras distribuídos ao redor.

Berliner Dom, Berlim

Ah! Você poderá ver também artistas de rua criando camisas com os símbolos dos principais pontos turísticos, que estão marcados em diversos bueiros.

Mitte, Berlim

Basta levar uma blusa – de preferência branca – à um dos pontos de encontro dos pintores e, claro, negociar o valor, que eles criam para você, na hora, uma blusa como essa da foto abaixo:

Propststraße, Berlim

Berlim é também cercada por cabines de fotografias. Por € 2 você leva uma lembrança super característica em 4 fotos P&B nas famosas “Photoautomat”. Eu tirei as minhas na cabine próxima ao Mauerpark, em Prenzlauer Berg, onde fica o mais famoso Mercado das Pulgas alemão. O curioso desse Parque é que ele fica bem na antiga “faixa da morte”, ou faixa de terra entre os dois muros da Berlim Oriental e Ocidental. O Blog Simplesmente Berlim tem um post sobre o assunto que definitivamente vale a leitura.

Outro ponto bacana são os homenzinhos do semáforo, ou Ampelmann. Reza a história que na antiga Berlim Oriental, todos os homens usavam chapéu.

“Grenzen überwinden” (Overcoming Borders) • Crédito da foto ao Never Left Home

Você precisa saber agora:

Moeda: Euro

Golpinhos/dia: € 30 (excluindo hospedagem)

Se perder, vai ter que voltar: Kit Kat Club

Sobraram Golpinhos? O ponto também positivo de Berlim é que muitas atrações culturais são de graça. Mas se sobrou uma graninha, vá ao Neues Museum, pois é lá que você encontrará esculturas egípcias milenares, com inclusão da Nefertiti. Eu havia acabado de voltar do Egito quando visitei o Museu e, mesmo assim, me encantei!

Neues Museum, Berlim

Mas vamos aos principais motivos que fazem turistas de todo o mundo reservar um tempo à essa cidade.

O que fazer em Berlim, Lívia? Para início de conversa, uma boa dica é o Berlim Welcome Card, que também possui a opção do Museums Pass. Lembre-se que, se você é um viajante bom de pique, possivelmente visitará inúmeros pontos turísticos em um só dia, pois o sistema de transporte da cidade realmente funciona. Eis abaixo os meus de interesse:

• Brandenburger Tor – Construído em 1791, o Portão marcou a divisão entre o leste e o oeste de Berlim e faz parte indissociavelmente da história da Alemanha como um todo.

• Visita ao Parlamento – Eu não consegui ir, pois tentei agendar em cima da hora (o choro é livre). O agendamento é feito no site Oficial e você pode realizá-lo clicando aqui. Enfim, dizem que a gente precisa deixar sempre um motivo para voltar aos locais em que visitamos à passeio… (E essa sou eu, tentando me enganar).

• Praça Alexanderplatz – Área de lojas, feirinhas de comidas e cervejas típicas e da famosa Torre de TV Fernsehturm. Lá você vai achar o célebre Currywurst!

Berliner Fernsehturm, Berlim

• East Side Gallery – Parte do Muro até hoje preservada da demolição. A foto abaixo faz parte das tantas trilhas que demarcam o percurso por onde o Muro passava.

Berliner Mauer, Berlim

• Memorial do Holocausto – Sem dúvidas um dos pontos mais famosos da cidade, criado por Peter Eisenman. A área ocupa hoje quase 20 mil metros quadrados representando a memória das vítimas judias da Guerra.

Holocaust-Mahnmal, Berlim

• Checkpoint Charlie – Antigo posto militar que dividia a Alemanha Ocidental da Oriental, durante a Guerra Fria. Lá há várias pessoas fantasiadas com roupas da época. Mas cuidado: eu já ouvi histórias de turistas desatentos que levavam o passaporte para ser carimbado com os selos da época e (adivinhem) acabavam com o documento invalidado ao tentar passar por qualquer Imigração. Gente, por favor né?

• Igreja Memorial Imperador Guilherme – Localizada no centro da Breitscheidplatz, a Igreja fica ao final de uma avenida cheia de Lojas como Zara, H&M e das drogarias DM e Rossmann. Eu a achei enquanto andava despretensiosa pelas ruas. E que achado que foi!

Breitscheidplatz, Berlim

• Tiergarten – Um dos maiores de Berlim, o Großer Tiergarten é um Parque urbano público com cerca de 210 hectares.

• AquaDom – Maior aquário cilíndrico do mundo, situado dentro do Hotel Radisson. Como fica a caminho da Alexanderplatz e também da “Ilha dos Museus”, você poderá, por exemplo, visitar todos os pontos em um mesmo dia.

Pole Dance em Berlim?

Oh yes! Tive a oportunidade de fazer uma aula de “Exotic Pole” na Drehmoment Pole Dance. A Alisa foi a Instrutora que me deu todas as dicas e avisos sobre as classes mas, de fato, fiz a aula com outra professora, que não me recordo o nome. O aquecimento é puxado, mas a aula bem similar à de estúdios no Rio de Janeiro, onde pratico, por exemplo. Porém, no geral, não foi uma aula que gostei. Não sei bem se foi o clima que impactou na aderência das barras, à língua estrangeira (aula toda em alemão!) ou a não-simpatia das alemãs. Veja bem, trabalhamos com sinceridade.

Kit Kat Club

Agora vamos à “excessiva, selvagem, livre e interminável” noite berlinense. Poderia escrever linhas sem fim sobre os nightclubs da cidade e do momento, mas vou opinar apenas sobre a experiência que tive. Pois bem, o Kit Kat Club é o must go queridinho dos liberais.

Brückenstraße, Berlim • Crédito da foto ao Wandbilder

Sem permissão de fotos por dentro, o clube requer um dress-code bem específico: vestidos e/ou leggings de vinil, espartilhos de látex, máscaras fetichistas e por onde mais sua imaginação for! Como a maioria das casas noturnas europeias, os seguranças fazem um “check in-out” na porta, para garantir que a noite seja reservada à não apenas curiosos, mas um público interessado na proposta da casa.

O clima lá dentro é descontraído e, digamos, exclusivo. Gente bonita, papo divertido, bebidas bem selecionadas e um setlist extenso, desde techno, deep e breakz em todos os ambientes.

“Mas Lívia, por que foi a noite mais insana da vida?” Uma vez, em uma roda de amigos, um casal comentava sobre as melhores baladas da Europa. Para atiçar a conversa, perguntei o que eles acharam do KKC e, no mesmo segundo, a dupla me respondeu surpresa: “Você conseguiu entrar?” Pois bem, você terá que ir ao Kit Kat Club para entender a insanidade do local.

Checklist

Seguro obrigatório para brasileiros: Sim

Vacina obrigatória para brasileiros: Não.

Imigração: Não tive problemas na entrada.

Documentação para brasileiros: Passaporte com, no mínimo, 6 meses de validade.

Importância Global: Berlim tem a maior estação de trem da Europa, conhecida por Hauptbahnhof.

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

(Visited 307 times, 1 visits today)