Chapada dos Veadeiros: Para Quem Ama A Natureza!

O Brasil é um país privilegiado pela natureza. Entre as regiões Centro-Oeste e Nordeste temos ao todo cinco Chapadas. Formadas por áreas planas, localizadas no alto de serras, essas fazem hoje parte de parque nacionais.

Estive na Chapada dos Veadeiros em novembro de 2016. Apesar de não existir uma época do ano mais propícia para a visita, você deve ficar atento às atrações que mais busca no local.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Ou seja, se você é fã de cachoeiras e quer pegar essas áreas cheinhas de água, visite o Parque entre os meses de Outubro à Março. Em contrapartida, durante o inverno a época fica ideal para realizar trekking. Durante todo o ano, a temperatura varia de 24°C a 26°C.

Fiz ao todo cinco dias de viagem, porém três exclusivamente na Chapada dos Veadeiros. Eu achei pouco, mas foi o tempo que consegui na época (era feriadão, sabe?). O meu acesso foi via Brasília, conforme contarei em detalhes ao longo do post.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Como toda zona de Chapada, a locomoção por transporte público é péssima. Aconselho a vocês alugarem um carro ou viajarem com agências de turismo. Outra dica é comprar comidas leves e água mineral nas lojinhas de posto de gasolina ou em mercadinhos locais, para te acompanharem durante o dia.

Você precisa saber agora:

Moeda: Real

Golpinhos/dia: R$ 278,00 (incluindo todos os gastos da viagem, sendo eles: passagens áreas, locação e combustível do carro, hospedagens, entradas nos parques e alimentação)

Se perder, vai ter que voltar: Visitar a Cachoeira Santa Bárbara, em Cavalcante

Sobraram Golpinhos? Passe de uma a duas semanas, revezando a hospedagem entre Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Como cheguei:

Voei Rio de Janeiro x Brasília via Gol Linhas Aéreas ao custo de R$ 282,89 ida e volta. Se pesquisar com antecedência, esse custo pode cair.

Ainda no Rio, reservei cinco diárias de carro padrão e ganhei upgrade na hora pela RentCars. O custo total foi de R$ 410,78 e a locadora ganhadora foi a Movida.

Na época, o litro da gasolina normal custava R$ 3,69 e consumi algo em torno de dois tanques completos. No momento de devolver o carro, parei num posto de gasolina no Distrito Federal e eu mesma limpei os tapetes, vidros e o carro por fora.

Caso você opte por pagar alguém no Posto ou ir diretamente à um local especializado em limpeza de carros, incluir algo em torno de R$ 50-80 (no econômico).

Hospedagem:

Existem três principais locais para se hospedar na Chapada dos Veadeiros: Alto Paraíso de Goiás, considerado o centro e onde eu me hospedei, São Jorge, a opção mais badalada e Cavalcante, a zona mais afastada, porém que abriga a Cachoeira Santa Bárbara, uma das mais bonitas da região.

• Alto Paraíso de Goiás – Camping Mirante do Sol, R$ 55,00 o camping com café da manhã. Eu simplesmente amei o lugar, os donos são bastante alto astral e sempre dispostos a ajudar. O café da manhã é vegetariano e uma delícia!

Foi aqui que conheci a Jéssica, uma menina de Anápolis, interior de Goiás, que visitou o Vale da Lua comigo e depois me reencontrou aqui no Rio. Um amor de menina, by the way.

Dia 1 – Chegada

Cheguei em Brasília por volta das 21h. Peguei o carro no guichê da Movida ainda dentro do aeroporto e segui viagem para a Chapada. As distâncias são conforme abaixo:

.BSB – Alto Paraíso – 220km

.BSB – Vila de São Jorge – 240km

.BSB – Cavalcante – 310km

Dia 2 – Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Trilha dos Cânions

A entrada do Parque está localizada no distrito de São Jorge, cerca de 36km desde o camping em que estava. Atualmente não há cobrança de ingresso para acesso.

Há quatro principais trilhas: a Travessia das Sete Quedas, a Trilha dos Saltos, a Trilha dos Cânions e, por fim, a Trilha da Seriema. Eu optei pela terceira e não me arrependo em nada!

Foram ao todo 12km de percurso sob o cerrado.

Cachoeira dos Cânions I

Como o nome já diz, o percurso é formado por Cânions (I e II) e pela Cachoeira Cariocas, que possui uma piscina natural (logo ao lado da cachoeira da foto abaixo). O percurso é moderado. Por conta do sol forte, cada chegada nas cachoeiras era um motivo de festa (rsrs).

Cachoeira Cariocas

À noite fui ao banho das águas termais do Morro Vermelho.

Com entrada ao custo de R$ 20,00 por pessoa na época, aqui o banho é cercado por uma mata fantástica. São três piscinas de pouco mais de um metro de profundidade com água a quase 33°C. Uma excelente pedida após um dia de trekking.

Dia 3 – Cavalcante

O dia foi dedicado ao distrito de Cavalcante, localizado a 109km desde o camping. Vale ressaltar que é importante chegar cedo na região, não apenas pelos atrativos, mas também porque entramos em um território Quilombo, a Reserva Kalunga e há horários.

Santa Bárbara, Cavalcante

Chegando ao Centro de Atendimento ao Turista (CAT) de Cavalcante, deve-se contratar um guia Kalunga para acompanhar nas atrações protegidas pela reserva deles, responsáveis pelo controle de acesso de pessoas e do turismo sustentável. A diária do guia sai por R$ 80,00 e pode ser dividida por grupos de até 6 pessoas.

Esperei um pouco até o próximo carro subir o Atendimento e conheci um casal na entrada que topou dividir o custo. Logo depois, seguimos viagem em direção às cachoeiras Santa Bárbara e Capivara, com o guia dentro do carro.

Antes de chegar até a atração principal do dia, deve-se passar pelo Engenho, localizado a 12km. Mas calma, uma parte é percorrida por carro.

Para os menos adeptos de atividade física, é possível pagar por um pau de arara, ao custo de R$ 5,00 e reduzir a caminhada. Com essa opção, restarão apenas 2km de trilha. Obviamente, não foi a minha opção (rsrs).

A Santa Bárbarazinha é a primeira queda d’água da região. Na hora, eu achei que fosse a principal e fiquei super decepcionada. Não que ela não seja bonita, mas esperava algo maior, mais mágico (rsrs).

Depois de cinco minutinhos subindo, já pude avistar as águas cristalinas em 35 metros de queda, um verdadeiro paraíso natural. Lá estava a Cachoeira Santa Bárbara, uma das mais lindas que já vi na vida!

Por dentro da Cachoeira

Para mais fotos desse dia, clique aqui.

A segunda atração foi a Cachoeira da Capivara, localizada a 20 minutinhos de carro, voltando em direção ao Engenho.

Cachoeira da Capivara

Para mais fotos desse dia, clique aqui.

Se sobrar tempo e disposição, visita o Mirante Ave Maria, que fica no Engenho II, uns 14 km desde Cavalcante.

Na programação inicial, a noite seria para curtir a piscina natural do Éden, mas eu estava tão cansada que aproveitei um pouco a música que o dono da casa tocava e as histórias que contava e apaguei no camping.

Dia 4 – Fazenda São Bento e Vale da Lua

A Fazenda São Bento fica entre São Jorge e Alto Paraíso de Goiás. O acesso dá-se via a BR que liga os dois distritos, uns 8km desde o camping.

Dedique um dia todo para conhecer as três principais cachoeiras do local: Almécegas I e II e São Bento. Essa última foi a que menos gostei de toda a viagem, estava muito cheia e com galera fazendo (acreditem) churrasco e escutando música nas alturas.

Almécegas I

Veja bem, você está diretamente em contato com uma terra fenomenal. Qual o motivo de poluir o ambiente e ficar ouvindo música ao invés de simplesmente deixar seu corpo nas águas geladinhas da cachoeira e aproveitar o que a natureza te deu? Sei lá, eu não entendo.

Mas bem, vamos voltar ao roteiro…

Paguei R$ 30,00 para conhecer todos os pontos listados acima. Comecei pela Almécegas I, com uma trilha de leve a moderada e depois fui para a II.

A entrada para as três cachoeiras custa R$30 por pessoa. Para quem opta por visitar apenas a São Bento, R$10.

O indicado é deixar a Cachoeira São Bento por último, já que esta fica localizada bem próxima de onde estaciona-se o carro, já dentro da Pousada. Ao sair dela, pode-se usar as dependências externas do local.

O visual da Almécegas I é surreal! São 45m de queda d’água em formato de véu de noiva. Fiquei igual criança, pois não dá vontade de sair da água de jeito nenhum (rsrs)!

Já no final da tarde segui para o famoso Vale da Lua, um conjunto de formações rochosas cavadas nas pedras pelas corredeiras de águas do rio São Miguel.

Vale da Lua

Vale da Lua

O mais bacana do lugar é que você pode se banhar por dentro dessas formações, que lembram o solo lunar. E logo ao lado, há piscina naturais para banho. Incrível, né?

Por dentro do Vale da Lua

O Vale da Lua fica localizado na Serra da Boa Vista, a 11km de São Jorge. Seu acesso é feito por uma pequena trilha de cerca de 500 metros. Bem molezinha!

Dia 5 – De volta à Brasília

Pernoitei em Brasília (fiquei hospedada em um motel de estrada, já bem próximo ao aeroporto, por isso nem mencionei o nome aqui).

Entreguei o carro já no aeroporto, horas antes de pegar o voo de volta ao Rio de Janeiro.

Sobrou tempo?

Cachoeira Cariocas, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Existem diversas cachoeiras na Chapada dos Veadeiros que não tive tempo de conhecer. Sem dúvidas, quero voltar à região com mais calma, pois os cenários naturais são realmente exuberantes.

Listo abaixo os passeios que não tive a oportunidade de visitar, mas ouvi de muitos viajantes na época só coisas positivas sobre:

– Catarata dos Couros: uma das cachoeiras mais visitadas, depois da Santa Bárbara. Há poços profundos, propícios para a galera que gosta de pular das quedas d’água;

– Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo: um dos principais cartões postais da Chapada, são seis horas de subida com vista para os saltos do Rio Preto. É uma boa pedida para o pôr do sol;

– Jardim de Maytreia – Esse eu queria muito, muito, muito ter conhecido. É considerado um dos locais mais místicos da região e dá acesso ao Morro da Baleia. Quem sabe na próxima?

A Chapada dos Veadeiros, especialmente na região de Alto Paraíso possui um forte turismo místico. Dentre os motivos, pode-se citar as exuberantes paisagens, a abundância de aflorações de quartzo (o que faz a chapada ser vista como um centro de concentração de energia) e o fato de ela ser cortada pelo Paralelo 14 (grau a sul do plano equatorial terrestre, começando pelo Meridiano de Greenwich e tomando a direção leste), o mesmo que passa por Machu Picchu.

Checklist

Seguro obrigatório para estrangeiros: Sim

Vacina obrigatória para estrangeiros: Não há obrigatoriedade de comprovação vacinal ou profilaxia para entrada no Brasil, no entanto, o Ministério da Saúde recomenda que os turistas internacionais atualizem a sua situação vacinal previamente à chegada ao país, conforme as orientações do calendário de vacinação do país de origem ou residência.

Documentação para estrangeiros: Passaporte e Visto (com exceções). Para mais informações, clique aqui.

Importância Global: O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros faz parte, desde 2001, da lista dos Patrimônios Mundiais da UNESCO. É um destino procurado tanto por brasileiros quanto por viajantes do mundo todo que buscam atrações naturais e místicas.

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

(Visited 135 times, 1 visits today)