Irlanda do Norte: Os Cenários Que Vão Tirar O Seu Fôlego!

Há duas semanas eu estava conhecendo o mar celta – and it was breathtaking! Comecei minha trip por Dublin, na Irlanda, e optei por tirar um dia inteiro para seguir viagem ao norte, rumo à Irlanda do Norte. Aqui te conto um pouco como foi a experiência em meu primeiro país integrante da UK.

Ballycastle, Irlanda do Norte

Você precisa saber agora:

Moeda: Libra Esterlina

Golpinhos/dia: £ 66,00 (desconsiderando hospedagem e incluindo tour)

Se perder, vai ter que voltar: Visita ao Giant’s Causeway

Sobraram Golpinhos? Passe uma tarde nos diversos pubs de Belfast

Ballycastle, Irlanda do Norte

Eu ganhei o “Northern Ireland + Belfast City day tour”, da empresa Veltra e recomendo bastante. São pontuais e o guia dominava totalmente a história do país. Foi uma viagem agradável, que respeitou os horários propostos.

Informações para quem opta o passeio saindo de Dublin:

⦁ Ponto de encontro – Molly Malone Statue, Dublin 2
⦁ Horário de partida – 07:30
⦁ Horário de retorno – 20:00
⦁ Preço – EUR 60,00

Bushmills, Irlanda do Norte

Seguimos os mais de 260km rumo ao norte do país e a primeira parada foi na Carrick-a-Rede Rope Bridge. Aqui, eu quis me matar! Veja bem, eu sonhava em conhecer esse lugar desde que vi fotos do meu irmão lá turistando. Eu simplesmente fiquei hipnotizada pelas imagens.

Carrick-a-Rede Rope Bridge, Irlanda do Norte

Então lá eu estava, com câmeras, lentes, drone. Mas cinco minutos após a parada do ônibus, veio o Guia, dizendo em seu melhor inglês britânico: “Carrick-a-Rede is now closed due to weather conditions.”

Canal do Norte, Irlanda do Norte

De fato havia nevado um tanto durante toda a semana e o máximo que chegamos do penhasco irlandês foi o ponto de admiração do mar (foto acima). Eu não quis perder a fé!

E, de fato, o dia só melhorou.

Bushmills, Irlanda do Norte

Rumo ao Giant’s Causeway! Nesse lugar, eu quase enfartei de emoção e logo abaixo te mostro o porquê. A Calçada dos Gigantes, em bom português, é um complexo gigantesco de cerca de 40 mil colunas prismáticas de basalto, formado por uma disjunção de massa de lava, resultante da erupção vulcânica ocorrida há cerca de 60 milhões de anos – Gracias, Wikipedia.

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

Vista da subida do Giant’s Causeway

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

Dica: Não é necessário pagar entrada caso você opte por não conhecer a parte do Museu. Nesse caso, siga pela entrada lateral superior. Em caso de dúvida, há sempre alguém disposto a te explicar como funciona. Pelo menos, comigo foi assim. E ah! Existe estacionamento no local.

Caminho coberto por neve, Giant’s Causeway

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

Como quase tudo na Irlanda possui uma história mística, a Calçada não ficaria de fora. O blog Passeando a Limpo contou em detalhes:

“Segundo a lenda irlandesa, um gigante chamado Finn MacCool queria enfrentar em uma luta um gigante escocês chamado Benandonner, mas havia um problema: não existia uma embarcação com tamanho suficiente para atravessa-lo pelo mar e levar um ao encontro do outro. A lenda diz que MacCool resolveu o problema construindo uma calçada que ligava os dois lados, usando enormes colunas de pedra. Benandonner aceitou o desafio e viajou pela calçada ate à Irlanda. Ele era mais forte e maior do que MacCool. Percebendo isso a esposa de Finn MacCool, de forma muito perspicaz decidiu vestir seu marido gigante como um bebê. Quando Benandonner chegou à casa dos dois e viu o bebê, pensou: “Se o bebê é deste tamanho, imagine o pai!”, e fugiu correndo de volta para a Escócia. Para ter certeza de que não seria perseguido por Finn MacCool destruiu a estrada enquanto corria, restando apenas as pedras que agora formam a Calçada do Gigante.”

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

Giant’s Causeway, Irlanda do Norte

O dia estava perfeito. Tinha sol no céu, neve no chão e gente do mundo todo pronta para dialogar e compartilhar histórias. O que mais eu poderia querer?

Foi nesse momento que os Deuses me lembraram que sim, tudo pode melhorar! Bem na saidinha do Giant’s, você vai achar o The Nook, o famoso e queridinho pub da região. E no frio que faz do lado de fora, você até vai esquecer que aqui, a cerveja é em libras esterlinas.

The Nook, Bushmills, Irlanda do Norte

A última parada do dia foi em Belfast. Se você, assim como eu, não fazia ideia de onde ficava Befast, está de parabéns (para não dizer o contrário)! Capital da Irlanda do Norte, aqui foi a minha primeira parada em terras do Reino Unido.

Belfast, Irlanda do Norte

O Acordo de Belfast, em 1998, foi o responsável pela continuação do local como parte do Reino e do fim dos conflitos entre nacionalistas e unionistas. Hoje temos a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, devidamente unificadas.

Donegall Square, Belfast

Pontos turísticos de interesse:

⦁ Tour de Game of Thrones – Para mais informações, acesse o site oficial.

⦁ McHugh’s Bar – Um dos pubs mais antigos de Belfast, inaugurado em 1711. Outro que também indico é o The Crown Liquor Saloon.

⦁ Belfast City Hall – Localizado na praça Donegall, o lugar é composto por uma arquitetura neobarroca riquíssima. Atualmente funciona como Câmara Municipal de Belfast.

Belfast City Hall, Belfast

Belfast City Hall, Belfast

Por dentro do Belfast City Hall

Por dentro do Belfast City Hall

Horário de funcionamento:
– Segunda à sexta: 08:30 às 17:00
– Sábado e domingo: 10:00 às 16:00

⦁ Titanic Belfast Museum – Todos sobrevalorizam o lugar. Falou em Belfast, vão te mencionar a experiência Titanic. Sempre achei a história chata, o filme pior ainda! Então, desculpe, mas aqui não posso te ajudar.

⦁ Saint George’s Market – Originado em 1890, trata-se de um mercadão com diversos produtos alimentícios.

⦁  Belfast Castle – Castelo irlandês do Século XII. A visita engloba diversas atrações no local e, atualmente, são até mesmo realizados eventos privados e casamentos. Para mais informações, clique aqui.

⦁ Castle Court Shopping – Trata-se de um shopping center que – sei lá porquê – os irlandeses do norte adoram colocar como ponto turístico (é que eu nunca tive muita paciência para compras durante viagens).

Artista de rua em Belfast, Irlanda do Norte

Proper Corn, as deliciosas pipocas do Reino Unido

Dica: Belfast possui um sistema de Black Taxi Tour que nada mais é do que táxis da cor preta que rodam a cidade te levando aos pontos turísticos. De fácil contratação pelas ruas, muitos ficam concentrados na Donegall Square (onde também fica o “Visit Belfast“, um centro de informações da região).

Fachada do “Visit Belfast“, Irlanda do Norte

Outro ponto bacana é que de Belfast saem barcas em direção à Escócia.

Vista do mar da Escócia, Irlanda do Norte

Checklist

Seguro obrigatório para brasileiros: O seguro viagem não é obrigatório, mas aconselha-se a contratação de uma cobertura médica mínima de EUR 30 mil.

Imigração: Entrei por Dublin. Precisei apenas apresentar uma Carta Convite, pois fui hóspede durante minha viagem à Irlanda. Como o país é famoso por receber alunos de inglês, aconselho a preparar uma papelada que justifique sua permanência e/ou interesse no país.

Documentação para brasileiros: Passaporte com, no mínimo, 6 meses de validade.

Importância Global: Em 1986, Giant’s Causeway  foi declarado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e, no ano seguinte, como Reserva Natural.

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

(Visited 544 times, 1 visits today)