Maranhão: Como Conhecer Os Lençóis Maranhenses?

Uma vez ao ano eu viajo com a minha mãe. Não importa o quanto a vida esteja tumultuada, a grana curta ou o trabalho nos cobrando por mais tempo… Tiramos ao menos um final de semana para cair na estrada. E esse ano foi a vez de conhecermos os Lençóis Maranhenses.

Lençóis Maranhenses

Os Lençóis Maranhenses ficam localizados em uma unidade de conservação, no Parque Nacional que leva seu nome. No território estão distribuídos os municípios de Barreirinhas, Primeira Cruz e Santo Amaro do Maranhão.

A minha viagem ficou concentrada no primeiro local.

Lençóis Maranhenses

Lençóis Maranhenses

Apesar de poder ser visitado durante todo o ano, a época ideal para curtir os Lençóis (com as lagoas cheias) é logo após a época das chuvas. Ou seja, entre junho e o início de setembro, já que entre janeiro e maio chove bastante no nordeste brasileiro.

Barreirinhas

Você precisa saber agora:

Moeda: Real

Golpinhos/dia: média de R$ 190,00 (considerando alimentação, daytour e hospedagem em pousada)

Se perder, vai ter que voltar: Pôr do sol no topo dos Lençóis Maranhenses

Sobraram Golpinhos? Existem duas opções bem legais: conhecer a parte leste (Atins) e oeste (Santo Amaro) ou seguir viagem para Jericoacoara, no Ceará. Se você não quiser alugar um carro e seguir viagem por conta própria, existem diversas agências de turismo em Barreirinhas que oferecem esses serviços.

Atins, Maranhão

Ah! Se a grana tiver sobrando, indico o voo panorâmico via monomotor também! É super fácil contratá-lo assim que chegar na cidade. Média de R$ 360,00 para 30 minutinhos… compensa, vai?!

Como cheguei em Barreirinhas? 

  1. Voo Rio de Janeiro x São Luís – Utilizei 20 mil milhas Latam para ida e volta + taxas. O custo médio para época de alta estação é R$ 400,00/450,00. São apenas 3h15 de voo;
  2. Ônibus São Luís x Barreirinhas – Na saída do aeroporto, os táxis costumam cobrar em média R$ 30,00 para a corrida até a rodoviária, mas achei furada: meu Uber deu R$ 12,00! Já a passagem até Barreirinhas, minha porta de entrada no Parque, custou R$ 51,00/trecho com a empresa Cisne Branco, totalizando 4h40 de percurso.

Barreirinhas

Existem opções de transfer desde o aeroporto, mas os ônibus de viagem costumam ser confortáveis e o custo mais em conta. Optei pelo mesmo quando sai de Salvador até a Chapada Diamantina e não tive do que reclamar. No Maranhão não foi nada diferente.

No ponto final de Barreirinhas, você já estará localizado dentro do centro da cidade. Minha mãe e eu aproveitamos para fecharmos os passeios do final de semana e, assim, “ganhamos” uma carona até a Pousada (trajeto facilmente realizado à pé, no worries).

Paisagens do caminho Barreirinhas x Atins

Agora, se optar por alugar um carro, o acesso por via terrestre a partir de São luís se dá pelas rodovias BR-135 e BR-402, a Translitorânea, em 272 km de estradas asfaltadas.

A caminho de Barreirinhas

Hospedagem

• Barreirinhas – Pousada Paraíso dos Lençóis, R$ 148,50 o quarto. Bem localizada, com uma equipe super atenciosa e educada. O quarto, assim como as dependências, são novos e limpinhos. Café da manhã vasto e gostoso. Não tivemos quaisquer problemas na estadia… indicado!

Vista do quarto

Dia 1 – Conhecendo o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Na balsa a caminho do Parque

Nosso primeiro passeio foi o da Lagoa Bonita e, o que não te avisam até lá, é a necessidade de “escalar” alguns metros de areia fofinha até o topo das lagoas. Minha mãe quase enfartou, tadinha!

Vista lá do topo

Onde os carros aguardam os turistas

Ao custo de R$ 65,00/pp, com duração de 5h até o pôr do sol, esse foi o dia mais incrível da viagem. Além da possibilidade de admirar todos os lençóis lá do alto, o caminho entre a vegetação do parque e as diversas lagoas cheinhas caracterizam todo o cenário tão esperado por nós duas.

Sem contar na galera que se reúne ao final do dia para admirar o sol se despedindo entre as cores alaranjadas do céu. É lindo!

Pôr do sol nos Lençóis

Lençóis Maranhenses

Como o passeio ocorre de tarde, utilizamos a manhã para ficarmos à margem do Rio Preguiça.

Existem diversos restaurantes agradáveis para o almoço, com custos nada exorbitantes (até para quem tem alma de mochileiro, acredite!, rsrs).

Rio Preguiça ao fundo

Dia 2 – Seguindo viagem à Atins

Finalmente, conheci Atins! YEEES

Existem muitos passeios possíveis – e necessários – em Lençóis, mas como o primeiro dia foi dedicado à cerejinha do bolo local, optamos por conhecer Atins, conhecido como o lado roots da região, no segundo e último dia de Maranhão.

Lagoa Verde, Atins

Atins

Atins

Em uma 4×4, ao custo de R$ 115,00/pp (dá sim para barganhar mais, hein) nosso grupo se conheceu cedinho da manhã e seguiu viagem por um trajeto basicamente de dunas e alagamentos incríveis, em um caminho bem sacolejante que será recompensador a cada cenário que se dá na frente.

Atins

Atins

Atins

E paramos para almoçar no famoso camarão do Sr. Antônio.

Restaurante do Sr. Antônio

Ok ok, é uma daquelas paradas hiper turísticas que só quem vai de passeio conhece, mas tenho que admitir que a comida é boa (embora o custo salgado). Pagamos cerca de R$ 100,00 em um prato de camarão para duas pessoas que comem pouco. O que, no nordeste, não é de longe um prato barato!

Por dentro do restaurante do Sr. Antônio

Outro ponto bacana desse daytour é a parada em uma praia logo após o sobe e desce das dunas. As águas são calminhas, apesar do vento forte do dia. O local é ideal para crianças.

Atins

No final do dia, chega-se à praia destinada ao kitesurf, que fica com um visual bem bacana durante o entardecer.

Atins

Nessa viagem conheci muita gente interessante, com histórias de vida que me fizeram não querer piscar o olho para acompanhar cada detalhe interessante de seus contos.

No primeiro dia foi a vez de uma francesa que viajava o Brasil após encerrar o mestrado. Já perceberam o quão curioso é o olhar do nosso país na visão de um estrangeiro?

Mommy bem animada!

Já no segundo dia, o animado casal paulista que viaja incessantemente o mundo, despertou o meu fascínio pelas suas histórias de Milão. Logo eu, que passei apenas uma noite de inverno na cidade italiana enquanto cruzava-a de trem com destino à Suíça – e detestei! -, me deparei com uma vontade louca de conhecer a Igreja Santa Maria delle Grazie.

Pôr do sol nos Lençóis

Devaneios à parte, vale destacar que os passeios raramente começam e/ou terminam no horário suposto. Por conta de um atolamento no nosso 4×4 e o jogo do Brasil na Copa do Mundo, quase perdemos o último ônibus de volta para São Luís. Portanto, programe-se direitinho!

Nossa 4×4 atolada

É claro que, diante do sol nordestino e das lagoas incríveis do Maranhão, não houve espaço para stress dentre os imprevistos à nossa frente.

Fim de tarde em Atins

Checklist

Seguro obrigatório para estrangeiros: Sim

Vacina obrigatória para estrangeiros: Não há obrigatoriedade de comprovação vacinal ou profilaxia para entrada no Brasil, no entanto, o Ministério da Saúde recomenda que os turistas internacionais atualizem a sua situação vacinal previamente à chegada ao país, conforme as orientações do calendário de vacinação do país de origem ou residência.

Documentação para estrangeiros: Passaporte e Visto (com exceções). Para mais informações, clique aqui.

Importância Global: Lençóis está na lista para se tornar o próximo Patrimônio Mundial pela Unesco. Anualmente, cerca de 40 mil pessoas visitam o Parque.

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

(Visited 161 times, 1 visits today)