Rússia: O Que Esperar da Incrível Moscou

Estive em Moscou por apenas algumas horas e (pasmem) não foi uma conexão.

Catedral de Cristo Salvador

Tinha um dia sobrando na Turquia e encontrei passagens bem em conta para a Rússia. Então, por que não voar para as terras de Putin?

Apesar do pouco tempo e do stress vivenciado na imigração (conto no checklist do post), a Rússia foi um país já diferenciado desde o momento do voo: sabe aquelas senhoras que usam o lenço no cabelo, bem ao estilo da Kate Mulgrew em Orange Is The New Black? Pois bem, elas são reais!

Catedral de Cristo Salvador

Era início de outubro e eu já peguei um frio memorável. Fui despreparada (vinha de Istambul e, logo antes, da Grécia) e sim, estava toda errada: sem proteção contra o outono, com pouco tempo, pouca grana. Mas sabe como é mochileiro… Não pode ver uma passagem barata.

Abaixo vou listar as coisas que eu fiz e também algumas dicas de passeios que valem à pena para os turistas que vão com mais tempo e se interessam por história e dança.

Kremlin de Moscou

Você precisa saber agora:

Moeda: Rublo russo (no aeroporto você pode facilmente converter)

Golpinhos/dia: R$ 200,00 (alimentação, transporte via Uber, entradas e passeios)

Se perder, vai ter que voltar: Visita ao Kremlin

Sobraram Golpinhos? Com tempo e com grana, indico entrar nos pontos turísticos, como o Mausoléu de Lenin, a Catedral de São Basílio e (claro!) assistir à um espetáculo no Bolshoi.

Catedral de São Basílio

Como cheguei:

Para a minha sorte, o Ataturk Airport, em Istambul, possui voos direitos para centenas de lugares bacanas. Voei via Turkish Airlines, pelo custo de R$ 526,00, com a ida bem cedinho e a volta na madrugada do dia seguinte.

Claro que viajar de madrugada implica no custo de transfer para o aeroporto (dependendo da cidade e das condições que você esteja viajando), então vale à pena colocar também esse gasto na ponta do lápis.

Na Turquia, gastava cerca de €15-20 pelo transfer compartilhado.

O que fazer em Moscou em um dia:

Comecei meu dia bem cedo. Eram cerca de 6h da manhã quando pedi um Uber em direção à Catedral de Cristo Salvador.

Estava acontecendo uma missa na hora que entrei. Cerimônia bem bonita.

Catedral de Cristo Salvador

A catedral é considerada um ícone do renascimento cristão ortodoxo na Rússia. Ela é um marco na cidade por sua história que tem início no século XIX quando, após a vitória do exército russo sobre as forças napoleônicas, o então imperador russo, Alexandre I, decidiu construir uma catedral em honra de seus soldados mortos.

Tanto de fora quanto de dentro (fotos proibidas no interior), esse lugar é majestoso! A entrada é gratuita e você pode adquirir velas e lembrancinhas na loja perto da saída. Mas lembre-se: nem todos na Rússia falam e/ou entendem o inglês. E, em diversos lugares, os nativos não vão fazer ideia do que você esteja querendo. Sad, but true!

Depois segui direto ao ponto principal da minha curiosidade pela cidade: a Praça Vermelha.

Museu Histórico do Estado

Gente, eu sou formada em Relações Internacionais e estar no Kremlin foi quase como um infarto do miocárdio, mas de felicidade (rsrs).

Um dos maiores cartões postais da cidade, a Praça Vermelha ficou conhecida pelos desfiles militares durante a era da URSS. Aqui ficam o mausoléu de Lenin, a Catedral de São Basílio, o Kremlin, o Museu Nacional e o famoso Shopping GUM. Ou seja, venha com tempo!

Praça Vermelha

Eu optei por começar visitando a São Basílio, que custou RUB 250, algo em torno de R$ 14,00.

A arquitetura é mundialmente conhecida. Quem não lembra de Moscou só de olhar as fogueirinhas coloridas subindo em direção céu?

Catedral de São Basílio

Reza a lenda que ela foi construída para comemorar a captura de Kazan e Astracã, cidades russas.

Por dentro da Catedral

E ó: ela é aberta diariamente, no inverno das 11h às 17h e no verão das 10h às 19h.

Por dentro da Catedral

Em seguida, pegue a fila (sim, há sempre filas) para visitar o Kremlin por dentro, a sede do governo e a capital política do país.

Todo dia ocorre a Troca da Guarda, de 8h às 20h, de hora em hora. As chamas acessas são homenagens aos milhões de soviéticos que morreram na II Grande Guerra.

A Troca de Guarda

Se você, assim como eu, nunca saiu do aeroporto de Londres nem viu uma troca de guarda na vida, essa é a chance!

Logo ao lado você vai achar os Jardins de Alexandre, um dos primeiros parques urbanos públicos de Moscou.

Ainda na Praça, temos o Shopping GUM, a maior construção do local. O nome deriva das antigas lojas soviéticas e estão presentes em muitas cidades da ex URSS.

Como tudo na Rússia possui uma arquitetura absurdamente linda, vale também uma visitinha, ok?

Shopping GUM

Já o prédio todo vermelhinho da praça é o Museu Histórico do Estado. Não tive tempo de visitá-lo, pois passei a tarde no tour dos metrôs russos, que conto logo abaixo.

Museu Histórico do Estado

As imperdíveis estações de metrô na Rússia:

A notícia boa é que a Rússia possui centenas de free walking tours, onde seu bolso agradecerá bastante. Já a notícia ruim é que se você possui tempo certo na cidade, provavelmente terá que pagar por visitas guiadas com hora marcada, como foi o meu caso.

Estação Novoslobodskaya

Como sou estudante, paguei RUB 1450, R$ 80,00, para conhecer as principais e mais belas estações. Utilizei a empresa Moscow Free Tour e posso garantir que os guias são excelentes. A duração do passeio foi de quase duas horas com os tickets já inclusos no custo.

Metrô de Moscou

Andar de metrô na Rússia pode ser um tanto desafiador, pois todas as placas estão em (adivinhem) russo! Mas sem dúvidas é um must do país.

Metrô de Moscou

• Estação Mayakovskaya, 1938 – Tem como tema os céus soviéticos. Essa foi abrigo antiaéreo durante a Segunda Guerra Mundial e o seu hall central sediou, em 1941, no vigésimo quarto aniversário da Revolução de Outubro, um acalorado discurso de Stálin.

Estação Mayakovskaya

Estação Mayakovskaya

• Estação Komsomolskaya, 1952 – Os mosaicos representam a luta russa por independência e liberdade ao longo de sua história.

Estação Komsomolskaya

• Estação Novoslobodskaya, 1952 – Conhecida por seus 32 vitrais, trata-se de uma obra de artistas letões. Cada painel, rodeado por uma elaborada moldura de bronze, está junto a um dos pilares de mármore rosado dos Montes Urais (cordilheira russa) e é especialmente iluminado pelo interior.

Estação Novoslobodskaya

Estação Novoslobodskaya

• Estação Ploshchad Revolyutssi, 1938 – Grandes arcos de mármore ladeados por um par de esculturas de bronze que retratam as pessoas da União Soviética. Ao todo são 76 estátuas onde cada possui uma superstição para o povo russo, que é super super místico! Essa da foto, por exemplo, é sobre amores impossíveis.

Ploshchad Revolyutssi

Dois lugares ficaram na minha listinha de coisas a serem vistas durante a volta à Moscou um dia:

– Assistir à um espetáculo no Teatro Bolshoi: Sede da companhia de dança mais tradicional do mundo, o prédio é uma construção do século XVIII;

– Visitar o Bunker-42: Antigo abrigo antiaéreo, o tour passa pelos corredores soviéticos secretos por trinta anos.

A Rússia foi um banho de história e de lugares fascinantes. Demorei dias para absorver cada pedacinho arquitetônico que pude vislumbrar em apenas horas andando de um lado para o outro em Moscou.

Sem dúvidas quero retornar ao país e estender essa visita à São Petersburgo, a segunda maior cidade do país.

Checklist

Seguro obrigatório para brasileiros: Sim, com cobertura total pelo equivalente a 30.000 euros pelo tempo que durar a viagem.

Vacina obrigatória para brasileiros: Não é necessário qualquer tipo de vacina.

Imigração: Tive problemas! Como minha entrada era apenas para um dia, sem ser conexão, eles suspeitaram. Passei uns trinta minutinhos na cabine da imigração sem entender nada que os russos falavam. No final, eles acharam que o meu passaporte era falsificado… Mostrei toda a minha documentação e expliquei que estava viajando pela Europa por um tempo. Além do mais, a minha entrada na Rússia era apenas para conhecer a Praça Vermelha. Por sorte, tinha já o ticket do free walking tour como mais uma justificativa. Graças aos Deuses, eu entrei. Na saída, implicaram um pouco, mas eu já tinha me acostumado (rsrs).

Documentação para brasileiros: Passaporte com, no mínimo, 6 meses de validade. Cidadãos brasileiros não precisam de visto.

Importância Global: A Rússia vai sediar a Copa do Mundo de 2018, fato que implicará numa massiva chegada de viajantes de todo o globo. Moscou é uma megacidade, sendo a sexta mais populosa do mundo. Além disso, de acordo com a Forbes, tem a segunda maior comunidade de milionários do mundo. Moscou é servida por uma extensa rede de trânsito, que inclui quatro aeroportos internacionais, nove terminais ferroviários e uma das maiores redes de metrô do mundo, e que perde apenas para Tóquio, no Japão, em termos de número de passageiros. É reconhecido como um dos marcos da cidade devido à arquitetura rica e variada de suas 185 estações.

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

 

(Visited 150 times, 1 visits today)