São Paulo: Por que visitar a famosa Selva de Pedra?

Como uma boa carioca, sempre tive meu pé atrás com São Paulo (o que hoje já considero ser uma baita estupidez!).

Considerada a capital financeira, a cidade onde tudo funciona, dona dos melhores empregos e dos melhores restaurantes do país, São Paulo foi por anos deixada de lado nas minhas andanças. Apesar dos amigos paulistas, visitar SP sempre ficou à plano de conexões ou longas escalas rumo ao exterior.

Avenida Paulista

Pois bem, vivendo de milhas para viajar o Brasil há cerca de alguns meses, me dei de presente um feriadão rumo à selva de pedra brasileira. A ideia foi curtir um dia inteiro na capital e o outro já em direção à calmaria do interior de Cotia.

Nesse post vou contar um pouco da experiência e do ritmo da trip, que pode facilmente ser dividida em mais dias, caso seu ritmo seja diferente do meu, acelerado (rsrs).

São Paulo

Ah! Fiquei hospedada na cada de uma amiga, em Osasco, já considerada no interior. A locomoção em direção à capital é bem simples, até porque São Paulo possui um maravilhoso serviço de metrô e trem (ou seja, que liga centenas de locais), ao contrário do Rio de Janeiro. Para quem não tem hospedagem certa, indico procurar a rede Ibis da Paulista, que fica no “centrão” de tudo com um bom custo-benefício.

Armazém da Cidade

Você precisa saber agora:

Moeda: Real

Golpinhos/dia: R$ 73,00 (transporte interno + alimentação na rua + entrada nos pontos turísticos)

Se perder, vai ter que voltar: Andar pela Avenida Paulista em um domingo ou feriado (quando o acesso é fechado para o trânsito de veículos motorizados)

Sobraram Golpinhos? Visite o MASP e a Pinacoteca

Por dentro da Pinacoteca, São Paulo

Passagem aérea:

Para quem opta por voar com milhas, na LATAM Airlines você consegue um voo promocional com cerca de 5.000 milhas/trecho.

Se esse não é o caso, segue a dica: voando desde o Rio de Janeiro (Aeroporto Santos Dumont), a média do custo por trecho é R$ 115,00-150,00 até São Paulo (Aeroporto de Congonhas), na promoção, ok?

Dia 1 – São Paulo capital

Chegando por Congonhas, a melhor opção é seguir em direção ao Parque Ibirapuera, que fica bem ao lado do aeroporto. A linha de ônibus 509J-10 faz esse percurso em cerca de 30 minutinhos. Se optar por seguir de Uber, o preço médio da corrida fica em R$ 20-22.

Parque Ibirapuera

Eleito em 2015 como um dos “melhores Parques do planeta”, o Ibirapuera é o mais importante parque urbano da região, inaugurado em 1954 para a comemoração do quarto centenário da cidade (gracias, Wikipedia). É hoje procurado por famílias que apreciam piqueniques, atletas, turistas, etc. O que mais me impactou no local foi a preservação da natureza e da abundância de árvores gigantes, compondo um cenário de paz e equilíbrio bem convidativos, principalmente quando consideramos a corriqueira vida paulista.

Parque Ibirapuera

Para ser sincera, eu comecei o dia em direção ao Beco do Batman, pois queria conhecer as galerias sem o tumulto da gente que aparece por lá no final da manhã. Apenas depois do Beco é que segui para o Ibirapuera e não me arrependo da decisão, mas acabei gastando uma graninha extra de locomoção (já que este fica localizado na Vila Madalena, afastado das opções de metrô).

Beco do Batman

Aqui vale à pena dedicar um tempinho se perdendo dentre as ruelas, com o intuito de absorver as centenas de obras de artes espalhadas entre muros, paredes de estacionamento, prédios, etc.

Bem ao lado do Beco, existe o Armazém da Cidade, com uma escadaria redecorada por moradores locais, ao estilo da Selarón, no Rio de Janeiro. É uma zona um tanto boêmia e artística.

A famosa asa de anjo e a Glau, minha amiga

Em seguida, a Glau e eu seguimos em direção à queridinha do dia: a Avenida Paulista. Como o custo de ônibus ultrapassava o valor da corrida de Uber desde o Ibirapuera (pagamos a tarifa mínima de R$ 7 e pouquinho), nossa próxima parada foi diretamente na Padaria Bella Paulista, considerada uma das mais gostosas da região.

Padaria Bella Paulista

Vive cheia e contempla inúmeros docinhos e salgadinhos ao estilo PERDIÇÃO de sua dieta. Comemos bem à um preço justo.

Padaria Bella Paulista

Depois foi a vez do MASP… E que surpresa boa! Não consigo entender como demorei vinte e seis (!!!) anos de minha vida para conhecer o Museu de Artes de São Paulo. As obras residentes aqui são fora do comum e vão desde Van Gogh, Renoir, Velázques, à Vitor Meireles e Cândido Portinari.

MASP

MASP

O ingresso para estudantes custa R$ 17,00, metade do custo integral e às terças-feiras a entrada é gratuita. O horário de funcionamento é de terça à domingo, das 10h às 18h e às quintas-feiras das 10h às 20h, sendo que segunda não abre, ok? Com essa exceção, o MASP abre normalmente em dias de feriado, exceto nos dias 24 e 25/12 (feriado de Natal) e nos dias 31/12 e 1/1 (feriado do ano novo), dias em que permanece fechado. Qualquer alteração de horário é normalmente comunicada nas mídias sociais do Museu.

Obas de Portinari no MASP

No MASP

Caminhando ao longo da Paulista, que estava fechada para carros devido ao feriado (sim, nesse caso o aluguel de bikes é possível e recomendadíssimo!), vimos inúmeros artistas de rua e prédios com pichações artísticas fantásticas até, enfim, chegarmos na Casa das Rosas.

Avenida Paulista

Avenida Paulista, na entrada do MASP

Pouco visitada, a Casa das Rosas possui o estilo clássico francês das primeiras décadas do século XIX e fica dedicada à diversas manifestações culturais com enfoque em literatura e poesia. No site oficial você achará a agenda completa, assim como a grade de horários. A entrada é gratuita.

Casa das Rosas

Depois, pegue o metrô ainda na Avenida Paulista e siga em direção à linha azul (valor da passagem é de R$ 4,00/trecho), com descida na Liberdade, o famoso bairro da cultura oriental de São Paulo.

Liberdade, São Paulo

Considerada a maior comunidade japonesa fora do Japão, o bairro ainda guarda muito da tradição através das festas típicas que se realizam ao longo do ano. Outro ponto bacana é que o Templo Busshinji pode ser facilmente visitado e possui horários de meditação ao longo da semana. Para mais detalhes, clique aqui.

Detalhe do semáforo no bairro da Liberdade

Optamos por almoçar com a boa e velha comida japonesa, no Restaurante Nandemoyá: um buffet simples, porém gostoso e barato. Vale a dica se você não procura nada sofisticado pela região.

Ainda na linha azul do metrô, seguimos para a estação da Sé, onde fica a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, antigo Convento do Carmo. É bem na saidinha do metrô, ao lado de edifícios ao estilo colonial. Por dentro, a beleza é mais simbólica, comparada à arquitetura exterior.

Igreja conhecida como Catedral da Sé

Muita atenção a esse lugar, pois fica bem no centro antigo de São Paulo. É uma região composta por diversos moradores de rua (como a Central do Brasil, no Rio de Janeiro) e de passagem, ou seja, não fique bobeando com suas coisas.

Nossa última parada foi na Estação da Luz, onde ficam ambos metrô e trem. Se seu acesso for via metrô, não deixe de subir os degraus em direção à plataforma do trem, pois a mesma tem uma estrutura estética lindíssima. Sabe aquelas plataformas de filme do Harry Potter? Pois bem, lembra muito!

Estação da Luz

Estação da Luz

Logo à frente, na saída do metrô, damos de cara com a Pinacoteca: um museu composto por acervo de pinturas. Se você gosta de fotos, a construção daqui vai te fazer pirar! Olha só do que estou falando:

Entrada da Pinacoteca

O valor do ingresso é R$ 6,00, sendo R$ 3,00 reais a meia-entrada para estudantes com carteirinha. Como era feriado na cidade, não pagamos entrada! Aos sábados a entrada também é gratuita para todos. O museu funciona de quarta à segunda, das 10h às 17h30, com permanência até as 18h.

Pinacoteca

Detalhes da Pinacoteca

Saindo em direção ao norte, com mais dez minutinhos de caminhada, você chegará ao Mercado Municipal (há também a possibilidade de pegar novamente o metrô e descer na estação São Bento, que fica na Ladeira Porto Geral, do lado da famosa Rua 25 de Março, considerada o maior centro comercial da América Latina).

25 de Março

O Mercadão Municipal de SP é um prédio histórico com uma praça gigante dedicada à comerciantes de frutas, bebidas, especiarias, peixes e laticínios.

Mercado Municipal

Aqui eu confesso: fiquei apaixonada! Tanto pela comida, quanto pelos registros fotográficos.

Mercado Municipal

Mercado Municipal

Mercado Municipal

Dia 2 – Rumo ao interior de Cotia

Nos jardins do Templo Zu Lai

No segundo dia de viagem, nossa programação era toda dedicada à Cotia, conhecida como “Cidade das Rosas” em virtude da Fazenda Roselândia, um antigo patrimônio histórico, onde havia o cultivo e a comercialização de rosas e outras espécies de flores.

Se você vem da capital de São Paulo, o melhor jeito de chegar via meio de transporte público é utilizando a linha amarela do metrô, até a estação do Butantã e depois seguir viagem com o ônibus intermunicipal chamado “Terminal Cotia”, que custa R$ 6,00 e fica parado ao lado da estação. As saídas são regulares, de hora em hora, salvo horários noturnos.

Cotia, São Paulo

Foi aqui que encontramos mais dois amigos, moradores de Cotia, e que nos guiaram em direção aos pontos atrativos do município.

Cotia é um local de acesso prioritariamente de carro, pois diversas atrações ficam localizadas em rodovias ou avenidas.

Cotia, São Paulo

Nossa primeira parada foi no tão esperado Templo Zu Lai. Com entrada e estacionamento gratuitos e doações à sua vontade, foi inaugurado no final de 2003 e é atualmente o maior templo budista da América Latina. Para informações sobre cursos e retiros, clique aqui.

Templo Zu Lai

O Templo fica fechado apenas às segundas-feiras, mesmo em caso de feriado. As visitas durante a semana podem ser realizadas das 12h às 17h e, aos finais de semana, das 9h:30 às 17h.

O segundo santuário que visitamos foi o Osdal Ling, dedicado ao budismo tibetano. Existem diversas linhas de estudo no budismo e a primeira grande divisão dos praticantes budistas na Índia aconteceu cerca de 100 anos depois da morte de Buda (entre 500 e 400 A.C.), quando houve divergências sobre a doutrina.

Templo Osdal Ling

Em suma, o budismo tibetano emprega práticas de meditação na forma de elaborados rituais, com leitura dos Saddhanas (textos litúrgicos). Possui uma forte tradição nas artes, com elaboradas pinturas e esculturas, e também em ordens monásticas, com ênfase no relacionamento entre alunos e Lamas.

Detalhes do Templo Osdal Ling

A prática do retiro espiritual também pode ser feita aqui, basta entrar em contato com o local para maiores informações. A nossa visita foi guiada pela querida Kerley, que explicou como cada cantinho do Templo funciona.

Há diariamente horários de prática e você pode conferir tudo ao clicar aqui.

Templo Osdal Ling

Nossa última parada do dia foi no Embu das Artes, localizado no município de Embu, a 15km de Cotia.

Lojinha no Embu das Artes

Visitamos as lojas de artes, a feirinha à céu aberto e o Museu de Arte Sacra dos Jesuítas por fora.

Um ponto bonito a ser visto é a Viela das Lavadeiras, um beco dedicado aos restaurantes e lojas de decoração coberto por flores e arranjos. Bem meiguinho!

Viela das Lavadeiras, Embu das Artes

Embu das Artes

Dica: Sobrou tempo em São Paulo ou estará pela cidade durante um domingo? Tenha a experiência de andar de bike pelo Minhocão, que fica fechado para o trânsito de veículos motorizados aos domingos para lazer e convivência de pedestres e ciclistas. Entre as diversas vias de acesso, você poderá utilizar o metrô de linha vermelha, com saídas na Santa Cecília,  Marechal Deodoro ou Barra Funda.

Grafite de Oscar Niemeyer na Av. Paulista

Checklist

Seguro obrigatório para estrangeiros: Sim

Vacina obrigatória para estrangeiros: Não há obrigatoriedade de comprovação vacinal ou profilaxia para entrada no Brasil, no entanto, o Ministério da Saúde recomenda que os turistas internacionais atualizem a sua situação vacinal previamente à chegada ao país, conforme as orientações do calendário de vacinação do país de origem ou residência.

Documentação para estrangeiros: Passaporte e Visto (com exceções). Para mais informações, clique aqui.

Importância Global: São Paulo é o principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América do Sul, compondo o 10º maior PIB do mundo. É hoje considerada a 7ª cidade mais populosa e a 14ª mais globalizada do planeta, segundo a Globalization and World Cities Study Group & Network (GaWC).

 

♥ Gostou? Então curte minhas fotos dessa viagem no Instagram! Quer mais dicas e ajuda com a sua viagem? Peça já o seu roteiro totalmente personalizado!

(Visited 170 times, 1 visits today)